Paixão pela vida

Texto base: Isaías 53:1-12

FOTO DE CAPA BOLETIM2

Este é o nome do nosso Musical de Páscoa, que por muitos anos era feito no Natal. O nome foi adotado aproveitando o filme A Paixão de Cristo, que teve como diretor Mel Gibson e, dentre os filmes produzidos com idiomas diferentes do inglês, foi o de maior bilheteria de todos os tempos. Até nações como Egito, Iraque, Árabia Saudita que professam a religião muçulmana permitiram sua veiculação, o que foi um espanto para os cristãos.

A paixão de Cristo é abordada desde antes da criação (I Pe 1.19-21). Deus falou sobre o assunto logo depois da queda (Gn 3.15), comunicou a Moisés (Dt 18.15) e a muitos profetas do Antigo Testamento. A vinda do Messias é anunciada em todo Antigo Testamento e a sua vida, morte e ressurreição são o tema central do Novo Testamento. Jesus dividiu a revelação de Deus e o tempo dos homens. A história se divide entre antes e depois de Cristo.

Em Isaías 52 e 53 temos a melhor descrição do Antigo Testamento sobre a vida, os sofrimentos e o trabalho do Messias.

A visão que os homens teriam do Messias – (Is 52.13 a 53.3) – A primeira palavra de Deus no texto é que o Messias será exaltado, elevado e será muito sublime (52.13). Porém, em seguida, tem a descrição dos seus sofrimentos. “…Pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens”. Is 52.14

  1. A reação dos homens em relação ao Messias (Is 53.1-3). Será que muitos ainda veem o Messias assim? Quando olhamos as imagens ou os crucifixos, onde Jesus permanece pálido, ensanguentado, ficamos com pena dele. Muitos até choram, mas não entendem a obra completa da cruz. A última palavra não é morte, mas sim

“Ele está vivo e assentado à direita de Deus”.

  1. Qual era a nossa situação antes de conhecer a Cristo? (Is 53.4-10). Nós estávamos separados de Deus, cheios de dores, enfermidades, especialmente na alma. A maior doença é o pecado. As “dores” e “enfermidades” incluem doenças reais e defeitos físicos (Mt 8.16-17), além de toda sorte de sofrimento humano. O versículo 5 de Isaías 53 fala do castigo pelo pecado, transgressões e iniquidades. O verso 6 nos fala que estávamos desgarrados e desviados. Paulo, em Efésios 2.1-3, ensina que estávamos mortos em nossos delitos e pecados, seguíamos o mundo e a Satanás e éramos por natureza filhos da ira. O apóstolo Pedro nos adverte a não esquecer o nosso passado (não esquecer da purificação dos nossos pecados). Ele acrescenta que devemos nos esforçar para confirmar nossa vocação e eleição (2 Pe 1.9-11).
  1. O que Jesus fez por nós? (Is 53.3-10)
  • Foi desprezado e rejeitado (v.3);
  • Ele tomou sobre si a nossas enfermidades e dores (doenças do corpo e da alma). Ler v.4;
  • Ele foi transpassado (esmagado) pelas nossas transgressões, moído pelas nossas iniquidades e recebeu o nosso castigo (v.5);
  • Foi oprimido e humilhado (v.7);
  • Morreu por causa de nossas transgressões (v.8);
  • Foi moído e adoecido por nós (v.10);
  • Levou o pecado de muitos (v.12).
  1. O resultado da obra do Messias – A cruz (Is 53.10-12)

 “…Verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do Senhor prosperará em suas mãos”. (V.10,12).

A recompensa de Jesus é uma grande família espalhada pela terra. Isto é: a igreja. O trabalho principal do Senhor é reunir seus filhos. Ele começou pela casa de Israel e enviou seus mensageiros “até os confins da terra”. Esta família foi chamada para adorar a Deus e para ser enviada para buscar os outros que ainda estão longe. O propósito do Senhor é estarmos para sempre com Ele (Jo 17.24).

  1. Depois do sofrimento, a certeza da vitória do Messias (v.11). “Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito”. Nada no reino de Deus é fácil. Jesus ensinou que “o reino de Deus é tomado por esforço e os que se esforçam se apoderam dele”. (Mt 11.12).

O Musical não é para impressionar, mas para evangelizar. Lembre-se “Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito”.

Pr. José João Mesquita


Questões para Edificação

 Estamos comemorando a Páscoa, que, no Novo Testamento, se cumpriu em Cristo. A expressão mais conhecida é a Paixão de Cristo ou Sofrimento de Cristo

  1.  Qual era a nossa situação antes de conhecer a Cristo? (V.4-6)
  2.  O que Jesus fez por nós? (V.4-10)
  3.  Qual o resultado dos sofrimentos e da morte do Messias? (V.10-12)
  4.  O que você está fazendo para obedecer as ordens do Messias de anunciar sua paixão e ressurreição para todos? (Mt 28:18-20; Mc 16:14-16)
*Publicado em: Boletim da Igreja Presbiteriana de Manaus, n°950, no dia 05 de abril de 2015.
Paixão pela vida
Tagged on:                                                         

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *