20 anos de GF: gratidão e esperança

Texto base: At 2.42-47; Rm 5.12-14; Rm 16.5,14-15

FOTO DE CAPA BOLETIMO início de tudo

Em novembro de 1994, em um retiro de famílias no Monte Sião, convidamos quem gostaria de reunir semanalmente para crescer em Cristo. Como resposta, aproximadamente 40 pessoas se dispuseram a isso, mas não tínhamos a menor ideia de como começar. Em dezembro daquele ano, fomos a Santarém (Pará) buscar um barco e lá conhecemos o Pr. Abe Huber, da Igreja da Paz, que já trabalhava com grupos familiares. Nesse primeiro contato, ele nos forneceu uma pequena apostila sobre o assunto.

Em março de 1995, iniciamos cinco grupos com os seguintes casais: José João e Lucilia, Pr. José Nery e Meire, Pr. Luiz Otaviano e Rosemary, Pb. Rafael e Leidiomar e Pb. Jorge Barros e Fernanda. Logo depois, o Pr. Wellighton e a Raquel se juntaram a nós e, no decorrer dos meses, muitos irmãos e irmãs.

Propósitos

Integração dos novos convertidos na igreja – Estávamos vivendo um grande crescimento desde 1993, mas a “porta dos fundos” era muito grande. As pessoas entravam e saíam da igreja.

Comunhão – Percebíamos que, conforme a igreja crescia, não sabíamos “quem era quem” e isso nos preocupava.

Discipulado dos novos – Era muito evidente essa necessidade. Os novos convertidos precisavam de um cuidado especial.

Nossa visão estava baseada em vários textos do Novo Testamento, como Atos 2.41-47, 4.32-35, Romanos 16.1-16 e muitos outros. A vida da igreja primitiva tem sido a nossa inspiração. O estilo de vida, a oração, as reuniões nas casas e a evangelização têm nos influenciado.

Em 1998, o Conselho da Igreja decidiu que os grupos familiares seriam a prioridade da igreja. Em 1999, alguns pastores participaram dos módulos de treinamento do Ministério Igreja em Células e, em 2000, o treinamento foi oferecido para as igrejas em Manaus. Um grupo de 60 pessoas de nossa igreja participou e isso foi fundamental para o crescimento dos grupos.

Em 2001, organizamos a estrutura com coordenações, supervisões, líderes, auxiliares e hospedeiros. Seguiu-se um tempo de muita oração, vigílias de noites inteiras, treinamentos, retiros de liderança, discipulado e multiplicação dos grupos. Tudo isso acompanhado de muita alegria no Senhor pela salvação das vidas. Foi nesse tempo que, em um retiro de avaliação, pensamos no futuro e surgiu a ideia do projeto “Pedras Vivas”, que hoje é uma realidade.

De 2001 a 2006 tivemos um tempo extraordinário, em que os nossos 60 grupos cresceram para mais de 400 grupos, incluindo as congregações. Em 2003, começamos a ministrar os módulos de treinamento em várias cidades do Brasil, de Norte a Sul, de Leste a Oeste.

Nos treinamentos, reuniões de liderança, retiros e vigílias que aconteceram na IPManaus, o Espírito Santo se derramou e nos encheu de um novo vigor. Em 2007, após um tempo de jejum, aconteceu o Retiro de Liderança no Monte Sião, e numa das manhãs o Espírito encheu o lugar. Foram muitas lágrimas e orações, um dia memorável.

O crescimento da igreja em Manaus gerou inspiração para muitas igrejas no Brasil e recursos para a obra missionária no Amazonas, com o envio de novos obreiros, construção de novas igrejas, novos barcos e também apoio para as missões transculturais em Angola, Índia, Itália, Moçambique, Taiwan e outras nações.

Problemas, ataques do inimigo e erros? Tivemos muitos, mas o Senhor nos consolou, nos fortaleceu e nos trouxe até aqui com Seu braço poderoso. Gratidão e esperança são os nossos sentimentos. Somos muito gratos ao Senhor por esses 20 anos de grupos familiares. Ele nos abençoou, multiplicou os líderes, o povo, as finanças, as igrejas, os pastores. Nossa gratidão ao Senhor e a todos que participaram dessa luta.

Temos esperança porque Ele continua conosco; ainda que os dias sejam maus, Ele não mudou. Mantemos a esperança de que, através da estratégia das 4 Estações, em unidade e com muito esforço, Ele nos liderará para lugares mais altos, e glorificará Seu nome entre nós.

Pr. José João Mesquita

*Publicado em: Boletim da Igreja Presbiteriana de Manaus, n°947, no dia 15 de março de 2015.
20 anos de GF: gratidão e esperança

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *